fbpx
O que é AIDA

Você já ouviu falar em AIDA? Pois bem, o Modelo AIDA (Atenção, Interesse, Desejo e Ação é um tipo de comunicação que estimula para que aja uma resposta à ação. Ou seja, é um Modelo de estímulo-resposta.

Assim, o objetivo da comunicação é captar a atenção da audiência, despertando-lhe interesse, causando desejo e levando-a a ação. Resumidamente, o Modelo traz uma sequência para levar a um resultado específico, que pode ser a compra de um produto ou serviço, por exemplo.

Nesse post, vamos explicar um pouco mais sobre o Modelo AIDA e como utilizá-lo para levar o cliente a comprar seu produto ou serviço. Você verá:

  • O que é AIDA
  • Qual a origem do Modelo
  • As Etapas do Modelo AIDA (e como usar):
    • Atenção
    • Interesse
    • Desejo
    • Ação
  • Variações da AIDA
  • Conclusões

O que é AIDA

O Modelo AIDA é um método utilizado pelos times de marketing e de vendas, focando principalmente no comportamento do usuário. Assim, como já foi mencionado, ele trabalha com estímulo-resposta. O Modelo se baseia no fato de que o cliente passa por um ciclo, a jornada de compra, que passa pelo primeiro contato com o serviço/produto até o momento da decisão de compra.

O modelo é muito usado no copywriting. E é importante entender que o método pode ter como objetivo não somente vendas, mas também geração de leads e outros objetivos de marketing.

Qual a origem do Modelo

Em 1898, Elias St. Elmo Lewis (1872 – 1948), pioneiro da publicidade, procurou otimizar o processo de vendas. O foco estava na interação entre vendedor e comprador, procurando chamar a atenção para informá-lo sobre o produto, para depois transformá-lo em cliente. Surgia o Modelo AIDA.

Assim, o modelo foi evoluindo até chegar no formato atual, com uma importante utilização no marketing digital.

As Etapas do Modelo AIDA (e como usar)

Atenção:

Primeiramente, para captar a Atenção da audiência você deve fazer com que ela enxergue que você tem a solução para o problema dela. Assim, ela pode ser feita por meio de um slogan atraente, uma promoção imperdível, uma headline poderosa em um e-mail ou uma imagem em destaque.

A ideia é que a audiência perceba a oferta. Nesse ponto é importante usar cores e elementos chamativos. Os textos também devem incitar a curiosidade para que a persona seja levada ao próximo passo.

Você deve usar aqui um call to action, seja em uma peça de e-mail, página de um website ou anúncio. Lembre-se de que a primeira interação é essencial, então escolha com cuidado o que será mostrado ao seu possível cliente.

Interesse:

Você já garantiu a atenção à sua peça, então agora é o momento de conquistar o Interesse. Isso será feito com um bom texto sobre seu produto ou serviço. Tenha em mente que você deverá destacar muito bem as vantagens do produto/serviço e não somente listar suas características. Uma simples descrição não é suficiente para atrair o interesse de sua persona. O que importa são os benefícios que ele traz a ela.

Desejo:

Na sequência, atraia o Desejo utilizando gatilhos mentais como estratégia. Afinal de contas, não é tão simples assim atrair o desejo sobre algo.

E se nas duas primeiras etapas o caminho é mais curto, nessa fase ele pode ser mais demorado. Isso porque o possível cliente vai analisar com mais cuidado.

Depoimentos e testemunhos, por exemplo, como prova social, valem muito para mostrar a real satisfação e servem como motivador, trazendo confiança para que o prospect se torne um cliente.

Ação:

Finalmente, para levar à Ação, utilize um call to action visível e que realmente leve à conversão. Se você trouxe o seu possível cliente até aqui, saiba levá-lo até o final, de forma clara e objetiva. O fluxo até aqui deve ser coerente, levando em conta a jornada de compra.

Os estímulos podem facilitar a tomada de decisão e os gatilhos devem levar ao final do funil de vendas. Crie senso de urgência, descontos e use outras formas para encurtar o caminho à ação.

Variações da AIDA

Existem algumas variações do Modelo AIDA, modificadas por especialistas, formando modelos personalizados. Isso também aconteceu por conta das mídias digitais.

Algumas incluem etapas pós-compra, mas todas elas tem a mesma espinha dorsal. Vamos conferir algumas:

  • AIDA modificado: Consciência –> Interesse –> Convicção –> Desejo –> Ação;
  • AIDAS: Atenção –> Interesse –> Desejo –> Ação –> Satisfação;
  • AISDALS: Consciência –> Interesse –> Pesquisa –> Desejo –> Ação –> Gosto/Desgosto –> Compartilhamento –> Amor/Ódio;
  • Modelo de McGuire: Apresentação –> Atenção –> Compreensão –> Rendimento –> Retenção –> Comportamento.

Conclusões

Por fim, vamos pensar no que o Modelo AIDA pode fazer pelo seu negócio. Ele é antigo em idade, mas atual e eficiente.

Mas para que ele dê certo é importante montar um fluxo que faça sentido e que seja bem planejado. Portanto, utilize os gatilhos mentais nas diversas fases do seu funil, sem exageros. Entenda o que o cliente precisa e esteja alinhado com suas necessidades.

Afinal de contas, seu produto/serviço deve apresentar a solução para o problema do cliente, mas isso deve ficar claro nas suas peças.

Gostou desse post? Que tal baixar nosso e-book sobre Marketing Viral?

O que é AIDA e como ela influencia na decisão de compra
WhatsApp chat