Marketing de Guerrilha e Internet - Vero Contents

Marketing de Guerrilha e internet

O marketing de guerrilha é uma estratégia que usa a criatividade e o uso de poucos recursos de forma a surpreender o público, impactando-o de maneiras não convencionais.

Fugindo dos canais de marketing tradicionais, como TV, rádio, jornais, revistas e até da web, o marketing de guerrilha utiliza diversas ferramentas para atrair a atenção, com o intuito de causar grandes impactos e de ter efeitos de viralização.

Nesse artigo, vamos entender um pouco mais sobre o conceito de marketing de guerrilha. Vamos ver suas origens, além de entender sua importância dentro do mundo da internet.

E, claro, ver alguns exemplos bacanas de sua utilização.

O que é e onde surgiu o marketing de guerrilha

O nome marketing de guerrilha foi criado pelo escritor e publicitário norte-americano Jay Conrad Levinson. O termo foi criado em seu livro Guerrilla Marketing, lançado originalmente em 1983, e que já se encontra na 4ª edição.

O conceito do autor foi inspirado na Guerra do Vietnã, que teve o Vietnã do Norte utilizando estratégias com poucos recursos, mas grande impacto e resultados sobre seus adversários, o Vietnã do Sul e os Estados Unidos.

O marketing de guerrilha geralmente é uma estratégia focada em locais públicos, de grande circulação. Os grandes cases costumam estar associado à mídia exterior, mas nos últimos anos, outras estratégias como o flashmob ganharam destaque.

Para identificar uma ação de guerrilha, geralmente observamos alguns pontos, como:

  • alto impacto, surpresa e criatividade;
  • uso de canais não convencionais ou uso dos canais convencionais de forma extramente original;
  • uso de formatos diferentes e ações de baixo custo.

Esquema de Marketing de Guerrilha - Vero Contents

Marketing de guerrilha e web

Em seu livro, Jay Conrad defende que o marketing de guerrilha tem como principal característica o diálogo com o público. A interatividade e a construção de relacionamentos, assim como a internet, são a base dessa estratégia. Esse conceito, como ele aponta no livro, vai em contraponto com o marketing tradicional, que é um monólogo.

Outra característica onde o marketing de guerrilha converge com a web é que, por ser uma estratégia de custos baixos, ele pode ser utilizado por pequenos empreendedores. Assim, não se trata somente de um universo de grandes marcas.

Mas onde a web e o marketing de guerrilha se encontram mesmo é no alto poder de viralização. A web, inclusive, serve como complemento para disseminar as ótimas e bem-sucedidas campanhas de marketing de guerrilha.

Isso vai de encontro com os conceitos mais atuais do marketing, onde o tripé “informar, convencer e motivar” não são mais o suficiente para trazer o consumidor. Surpreender, engajar e compartilhar fazem parte do dia a dia da web e o marketing de guerrilha permite um fortalecimento dessa relação com o público.

Sendo assim, é possível unir as duas estratégias, levando o público do marketing de guerrilha até a internet. Como ambas permitem a interação com os usuários, é possível criar uma base de dados a ser usada posteriormente na web.

Além disso, as redes sociais podem ser usadas para alavancar os resultados das campanhas de marketing de guerrilha. Estas, por sua vez, podem ser usadas para alavancar os resultados das mídias sociais.

Porque investir em marketing de guerrilha

O primeiro ponto é o impacto com custo baixo. A estratégia pode ser usada por marcas de todos os tamanhos e verbas e dá a oportunidade de trazer o público mais próximo do seu produto/serviço.

Esse é um passo importante para se pensar. No marketing atual, o público deseja muito mais das marcas. Estar presente na mente do consumidor, hoje em dia, requer autenticidade e criatividade.

Criar um impacto imediato e levar esse consumidor até as redes sociais é uma forma de não precisar “pegar emprestado” o seu público do Facebook ou do Instagram. Em tempos de alcance cada vez menor nas redes, o marketing de guerrilha pode ser uma ótima forma de surpreender e gerar engajamento nas mídias sociais.

Alguns exemplos de marketing de guerrilha

As ações de flashmob já ficaram famosas na web. Separamos duas ações que viralizaram na web há alguns anos atrás e fizeram muito sucesso. A primeira, de 2009 na Bélgica, é um comercial para a VTM, na estação de trem da Antuérpia. A segunda, organizada pelo Banco Sabadell, aconteceu em Sabadell em 2012, na Praça Sant Roc.

Uma ação muito bacana, realizada em 2006 pelo website de recrutamento e seleção Jobsintown.de utilizou a mídia exterior para impactar o público (alto impacto, diga-se de passagem).

Marketing de Guerrilha - Jobs-in-town

E que tal essa ação muito bacana de uma empresa alemã de seguro para implantes dentários?

Marketing de Guerrilha - Seguros para Implantes Dentários

Esses poucos exemplos que mostramos mostram o poder de uma boa campanha de marketing de guerrilha. Bom humor, ótimas sacadas e muita criatividade podem fazer de um pequeno esforço, um grande sucesso. Mas não podemos esquecer do poder de levar essas campanhas para a web, onde o alcance e o compartilhamento farão, certamente, uma boa campanha decolar.

Receba atualização de conteúdos bacanas como esse em seu e-mail. Cadastre-se e faça parte de nossa lista! E curta a Vero Contents nas mídias sociais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *